TORPPID
“Você precisa de alguém que fique, mesmo após uma briga, que vá atras mesmo sendo o errado. Você precisa de alguém que te odeie por segundos e que volte a amar mais ainda minutos depois. Você precisa de alguém que te xingue e implique bastante contigo, mas que depois que te ver irritada e de bico, te faça cocegas e gracinhas até te ver sorrir. Você precisa de alguém que te ligue na madrugada dizendo coisas como: “só liguei para ouvir tua voz.” ou que discutam pelo telefone e se enrolem dizendo “olha pra mim” e depois caem na risada por estarem longe, mas além de tudo você precisa de alguém que te “odeiame”, que te ame e odeie na mesma intensidade fazendo com que haja equilíbrio e que ambos não cabem mortos ou fadigados de amor, como acontece em tantos outros casais.”
I can fix you.  

“Porque no final, quando perdemos alguém, cada vela, cada oração, não compensarão o fato de que a unica coisa que sobrou é um buraco na sua vida onde aquela pessoa que você gostava, costumava estar.”
Damon Salvatore.

“E mais um dia cansativo. Chato. Como todos os outros dias. Tinha bebidas na geladeira e comida no armário. Uma TV gigante. Um sofá aconchegante. Um quarto maravilhoso. Uma cama macia, menos você. O principal não, não tinha você. Do que adiantaria ter tudo se não pudesse ter alguém com quem compartilhar todos os momentos tristes ou felizes? Viajar sozinho não tem graça. Jantar em um restaurante sozinho, é idiotice. Ver filme de romance e ficar abraçado apenas com o travesseiro sendo que poderia ser você, é chato. Não adianta, tudo seria melhor com você.
O menino Charlie. 

“Dá aqui a tua mão. Vou segurar ela bem forte e, juntos, vamos conseguir enfrentar qualquer coisa boba ou séria. Sabe por quê? Porque a gente se ama. E nada mais importa.”
Clarissa Corrêa.     (via a-dulterado)

“Meu humor é ácido. Sou irônico, perco a paciência e o interesse em gente que não entende ironias, afinal, não entender ironias é a coisa mais broxante que existe. Tem gente que não gosta desse meu lado. Na verdade, tem gente que não gosta de nenhum lado meu. E agora eu estou entendendo que não tenho obrigação de ser quem todo mundo espera que eu seja. Já dá trabalho ser eu mesmo, imagina ser a pessoa que você quer?”
Clarissa Corrêa.